sábado, 30 de novembro de 2013

3º e 4º Dia.

3o  e 4º Dia. DA NOVENA EM HONRA DA  IMACULADA CONCEIÇÃO
UM SEGREDO DO ESPÍRITO SANTO.
Sinal de predestinação.


D.
                O amor da Virgem Imaculada é um dos sinais de predestinação e um dos segredos de santidade. Que é sinal de predestinação? Enquanto estivermos nesta terra, nunca teremos absoluta certeza de nossa salvação eterna. Podemos estar repletos de excelsas virtudes, carregados de obras meritórias, refulgentes de excepcionais carismas, até capazes de operar milagres. Porém, enquanto estivermos neste mundo, nunca estaremos certos de nossa salvação.

L.
No Concílio de Trento, se definiu que “ninguém pode saber com certeza, sem uma revelação divina, se conseguirá a salvação”(Sess. VI, cap.9). É mistério que Deus mantém escondido, enquanto estivermos peregrinando nesta vida. Entretanto, há sinais que os teólogos chamam “sinais de  predestinação”, cuja presença nas pessoas indica que serão salvas. São predestinados ao céu.

T.
         Que é sinal? – É indício, visível, que nos faz conhecer algo que não se vê. Se, ao longe, enxergamos a fumaça, é indício de que alguma coisa está queimando. Uma chaminé fumega: de longe não se vê, mas existe.
D.
         Assim, se numa pessoa existem “sinais de predestinação”, são indício fundado de sua eterna salvação. Entre esses “indícios de salvação”, os Santos Padres indicam, com unânime insistência, o “amor a Nossa Senhora”. Diz S. Bernardo “A devoção a Maria, é sinal infalível de predestinação.

L.
         O amor a Virgem Imaculada é, além disso, um segredo de santificação. Todos, enquanto membros do “Povo de Deus”, somos chamados à santidade. O Concílio Vaticano II confirmou, no Capítulo V da Constituição  sobre a Igreja, Lumen Gentium, a vocação à santidade.

MARIA PURA E SANTA.

Maria, pura e santa aos olhos do Senhor,
Por Deus foste escolhida,
Pra seres Mãe da vida,
Mãe do Salvador.

REF: Ao sermos chamados como Tu,
         Seguimos a luz dos passos Teus,
         E estamos aqui dizendo sim, ao nosso Deus.

Tu foste peregrina /  Da nossa Redenção.
Por onde Tu andavas,/ A luz de Deus levavas
No Teu coração.

A nossa vida humana / A Deus conduzirás.
Tu és a esperança/ A mão que nos alcança
Todo o bem da paz.

Todos, na Igreja, quer pertencendo à hierarquia ou por ela  dirigidos,  são  chamados, segundo o dito do Apóstolo: “Esta é a vontade de Deus, que sejais santos! (Tess. 4,3. L.G no 38). A universalidade do chamado à santidade se funda sobre a “santidade da Igreja”. Cristo, Filho de Deus, que com o Pai e o Espírito é proclamado o “único Santo”, amou a Igreja como sua Esposa e se deu a si mesmo, para santificá-la (Ef 25,26).

T.
Todo cristão participa desta santidade objetiva da Igreja, que lhe é comunicada em força da graça santificante no Batismo e desenvolvida com as virtudes infusas e dons, através dos sacramentos.

L.
         Todos somos chamados à santidade. Estupenda revelação de amor, enchendo nossa alma de imensa confiança, de conforto pacificador!
Todavia, sabemos que este caminho é difícil. A fragilidade intrínseca de cada um, os permanentes resíduos do pecado original que ficaram em nós, mesmo depois  do  Batismo, o desgaste que em nós operam as culpas pessoais, mesmo perdoadas, as complicações vindas de fora, as crescentes dificuldades da vida, são todos fatores que incidem de maneira determinante em nossos compromissos de perfeição, mesmo que sejam sinceros e generosos.

D.
Muitas vezes começamos com sinceridade, empenho, generosidade autêntica e novo impulso... Mas, pouco a pouco nos encontramos no ponto de partida.

T.
        É o permanente esforço de nossa resposta às interpelações do Amor; altos e baixos, doação e restrições no dom, oferenda sincera e sucessivas recaídas.
L.
Diz S. Luís de Montfort: “Assim como existem segredos para realizar rapidamente e com facilidade certas operações naturais, assim também acontece na ordem da graça, nas operações sobrenaturais, como o esvaziar-se de si  mesmo,  plenificar-se  de Deus e chegar à perfeição”. Este segredo não nos dispensa da colaboração. Pelo contrário. Quem o recebe é chamado a um trabalho interior intenso e profundo, fortemente empenhativo. É o segredo do Espírito Santo que é revelado aos predestinados.

T.
Maria – acrescenta ainda Montfort em seu Tratado da Verdadeira Devoção a Maria – é o caminho mais fácil, mais rápido, mais perfeito e mais seguro para ir a Jesus Cristo e chegar à perfeição”.

Meditação da Missa “É festa”.
Ave Maria Puríssima!
Mãe do meu Senhor/
Tão docemente consolas/
Quem vos procura na dor!

REF: Ó vem Maria Imaculada/
         Sem pecado original,
         Vem mostrar- me o amor
         Que compartilha,

         O Teu Filho Divinal!


Ave Maria Puríssima!
Dá-me ser fiel,
Vem abrigar- me sou frágil/
Teu manto azul cor do céu !

D.
         A Virgem Imaculada é o caminho mais fácil, porque é o que Jesus traçou para vir a nós e no qual não existe nenhum obstáculo para chegar a Ele.

L.
É “o caminho mais breve”, porque “nele não nos perdemos; caminha-se com mais alegria e mais facilmente. Por conseguinte, é mais rápido”. É o caminho mais perfeito, porque é o caminho imaculado através  do qual o Verbo de Deus desceu até nós, na Encarnação.

         D.
         É o caminho mais seguro, porque a função mesma da Virgem Imaculada é a de conduzir-nos seguramente a Jesus, assim como Jesus nos conduz certamente ao Pai.

Oração Final.
         Ó Maria Imaculada! Vosso nome está em nossos lábios e em nossos corações desde que começamos a existir. Desde a infância aprendemos a amar-vos, a invocar-vos nos perigos, a confiar na vossa intercessão. Agradecemos a vossa solicitude materna, o dom da nossa vocação religiosa Concepcionista Franciscana na Igreja, que recebemos de Deus, através de vossas mãos benditas. Ó Mãe fortificai em nós o propósito de vivermos como fieis  seguidoras de nossa Santa Mãe Beatriz, para a maior glória de Deus Trindade, a glorificação de vossa Imaculada Conceição e  para o incremento do Reino de Cristo nos corações. Amém.

CONCEPTIO  TUA.
Conceptio Tua, Dei génitrix Virgo, gaudium annuntiávit unverso mundo; ex te enim ortus est Sol justitiae, Christus Deus noster: Qui sólvens maledictiónem, dedit benedictionem: etconfúndens mortem, donávit nobis vitam sempitérnam.


4o DIA.

FUNDAMENTOS
TEOLÓGICOS DO SEGREDO.
D.
         Onde encontramos as bases teológicas deste segredo do Espírito Santo?  Em todo o texto do Cap. VIII sobre Nossa Mãe Imaculada, inserido na Constituição sobre a Igreja, que nos diz: Maria é a Mãe de Deus. É Aquela em cujo seio “o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo. 1,14); a ponte imaculada através da qual o Filho de Deus desceu até nós.

T.
A Virgem associou-se intimamente ao plano da Redenção, participando realmente, mesmo de modo secundário e dependente de seu Filho, para obter-nos o perdão e a vida da graça.

L.
É Jesus que, com o sacrifício do Gólgota, nos mereceu a vida divina e todos os meios de    santificação.  Mas,  por  vontade
Divina, a Virgem Santíssima participou com suas dores de Mãe, unidas à Paixão e à Morte de Cristo, para obter-nos a redenção e a salvação. “Maria foi associada ao Sacrifício de Jesus, obtendo-nos a vida divina e sendo para nós Mãe na ordem da graça” (L.G 61).

Vamos Cantar 677.
Porque  és Mãe do Senhor do universo/ és tão grande, tão grande é tua glória/ que louvar-te não cabe num verso, és a luz que não cabe na História!... Mas por seres também Mãe da gente, já nem penso em louvar-te, pois não. Mãe se ama,  e Mãe santa somente se bendiz balbulciando oração.

Mãe dos homens, piedosa e clemente. Quem é Mãe, de ser mãe não se cansa! /:/Hoje e sempre vem ser para a gente/ vida e doçura, e nossa esperança! /:/

T.
                Como Mãe do Verbo e a Ele associada na Redenção, Maria está unida a Jesus na fonte e manancial da graça. Como Mãe espiritual   dos    homens,  com    sua   função mediadora, Ela é canal através do qual passa a graça e se distribui aos homens. E, com a graça, todos os dons de Deus aos homens.

L.
         “Todos os dons, virtudes e graças do Espírito Santo – afirma S. Bernardino de Sena – são distribuídos pelas mãos de Maria a quem Ela quer, como quer e quando quer”. Como Mãe do Verbo Encarnado, a Virgem se
tornou a “forma mais perfeita” do modelo divino, Jesus, único exemplar da santidade. “Os que Ele de antemão conheceu – escreve São Paulo – também  os predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho” (Rom 8,29).

D.
O Pai reconhece somente o rosto de Seu Filho. No céu, só admite quem tiver a fisionomia de seu Filho. Quem é conforme à Sua imagem? A Virgem é “a forma de Deus” dizem os Padres. É Aquela em cujo seio imaculado se formou o Verbo Encarnado, Deus e Homem. Ela é a cópia perfeita de Jesus.



L.
Sendo íntimas de nossa Mãe Imaculada, “vivendo as Suas atitudes” como nos prescreve as nossas CCGGG 9 § 2, na dependência à sua vontade, assumindo seu espírito, deixando-nos modelar por Ela, como a cera na forma, tornamo-nos fácil e seguramente, “cópia de Jesus”.

L.
Por vontade de Deus, A Virgem Imaculada se tornou o depósito da graça divina e de todos os dons de Deus aos homens. Por isso, quem consegue estabelecer relações mais profundas, mais íntimas e ativas com Ela, tanto mais será atingida pela sua   ação  santificadora.  “Quem   esta   mais próximo do fogo, mais se aquece”.

Mãe de Deus e nossa, vimos te louvar,
Pra que o mundo possa, sempre mais te amar,
Dignos  Deus nos faça, de te exaltar,
Dá- nos tua graça, para te cantar.



Dentre as criaturas, tu és a mais linda,
Igual formosura, não se viu ainda,
Deus te fez formosa, pura e Imaculada,
Mais que o lírio e a rosa, tu és perfumada.

Mãe da humanidade, Mãe da Santa Igreja,
Olha com bondade, para nossa peleja,
Sob o teu olhar, queremos viver,
Para ao céu chegar, e sempre te ver.

D.
         Para todos, a Virgem é muito terna. É potente Intercessora e magnífica Dispensadora de graça. Mas quem se inserir no Seu Coração de Mãe com um ato de entrega total e de abandono, de vigilante e ativa assimilação de seu espírito, será invadido pela graça. Ao pensarmos na relação de intimidade  com a Virgem, temos esta imagem: um canal de água que atravessa um campo. Irriga-o todo. Mas, muito mais o terreno que lhe está próximo.

T.
Por isso, o salmista compara o justo, isto é, o santo, a “uma árvore plantada às margens   de   um   rio,   que  sempre  dá  seus
frutos, nunca amarelecem suas folhas, e produz em quantidade” (Sl. 1,3).
        
L.
Sendo íntimas de nossa Mãe Imaculada, veremos reflorescer a beleza da vida cristã,  religiosa, e também, a nossa vitalidade interior. Nunca teremos folhas murchas, mas rebentos que se abrem, em humildade e  autenticidade, para a perfeição da maturidade cristã e religiosa a que o amor do Pai nos chamou.

D.
         É este o “segredo do Espírito Santo”, é o pacto de amor com a Virgem, Mãe do Verbo Encarnado e Mãe da Igreja. É um ato de total doação a Ela, para conseguir uma intimidade de dependência e de abandono. Intimidade de imitação, de assimilação de seu espírito. Identificação com  sua mentalidade, que é a de Jesus e do Evangelho.



.
         Deveremos sentir-nos destinatárias do “Dom excelso” que nos faz o Pai. acolhendo o Dom do Pai, receberemos muita força muito conforto.

D.
         Talvez ainda encontraremos obstáculos em nosso caminhar para o Senhor. É nossa história. Dizemos e não fazemos. Prometemos e não mantemos. Comprometemo-nos e nos retiramos. Por quê? Há empecilhos que nos retém...

T.
         O Dom que receberemos, o Pacto de amor que faremos com a Imaculada, vencerá esses obstáculos. Nossa Mãe Imaculada nos ajudará a “ser” e não “aparecer”; a “fazer”  e não só “prometer”.

D.
         Consideremos a Virgem Imaculada à luz da fé, no plano da   Redenção.
Contemplaremos o que “é Maria” no Mistério do Verbo Encarnado e no  Mistério da Igreja. O que Maria possui, as vibrações e sentimentos de divino e de humano, em seu coração.

Oração Final.

                Virgem Mãe Imaculada, queremos ir a Jesus por vós, a quem consideramos Caminho seguro, curto e suave. Ajudai-nos a acolher com fé e amor o Mistério de Deus Amor. A sermos fiéis as graças recebidas no santo Batismo e a viver com intensidade a nossa vocação religiosa. Estamos realmente convencidas da imensidade de nossa própria miséria,   e insuficiência.  Por isso, ó Mãe vem nos ajudar!   Que seguindo o seu exemplo e o de Nossa Santa Mãe Beatriz, nos esforcemos dia após dia para ser” e não “aparecer”; a “fazer”  e não só “prometer”. Amém.

CONCEPTIO  TUA.
Conceptio Tua, Dei génitrix Virgo, gaudium annuntiávit unverso mundo; ex te enim ortus est Sol justitiae, Christus Deus noster: Qui sólvens maledictiónem, dedit benedictionem: etconfúndens mortem, donávit nobis vitam sempitérnam.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Monjas do Mosteiro

Profissão Solene de Ir. Maria de Fátima-OIC

Fundadora do Mosteiro

Amigos e benfeitores

Me. Beatriz Maria de Jesus Hóstia Seiffert- Fundadora do Most. da Imaculada Conceição e São José

Me. Beatriz Maria de Jesus Hóstia Seiffert-  Fundadora do Most. da Imaculada Conceição e São José
me Beatriz Maria

Algumas das Monjas da comunidade

Algumas das Monjas da comunidade

Monjas do Mosteiro