sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

9º DIA DA NOVENA

9o DIA.
MARIA, A PARENTE DA TRINDADE.
No abismo do Amor Trinitário.

D.

Nossa Mãe Imaculada, além de ser isenta da culpa original, foi repleta de vida divina desde o primeiro instante de sua concepção.

T.
         Ela é cheia de graça. É  repleta de Amor Infinito.

L.
         Respondeu com livre adesão de seu Coração à plenitude inicial de graça. E a vida de Deus que possuía cresceu diariamente. Cresceu até atingir o cume mais  alto   da  Maternidade   divina. Com  o vínculo da comunhão da carne e do sangue com o Verbo Encarnado, a Encarnação fez de Maria a “Íntima da Trindade”, “Parente de Deus, Uno e Trino”.

T.
Deus é essencialmente Amor. Vive no amor. Comunica e recebe Amor.

D.
         A vida de Deus se desenvolve num abismo de Amor Infinito, unindo as três Pessoas divinas na unidade da natureza divina. É absurdo pensar em compreender, com nossa limitada inteligência, o que se passa na intimidade Trinitária. Mais absurdo seria presumir-lhe a expressão em termos terrenos. E São Paulo, que fora raptado em êxtase misterioso, afirma que “ouviu coisas inefáveis que não é possível exprimir” (2 Cor 12, 4).

T.
         Só céu no saberemos e veremos.
Saudade do Céu.
O que os olhos não viram jamais/
O que a língua não pode exprimir/
Ver a Deus possuir só a Deus/
Eis o céu quem me dera lá ir.

REF: Só no céu nesta Pátria ditosa/

         Onde em coros de eterna alegria/

         Tantos anjos acordes entoam/
         Os louvores de Jesus e de Maria.

D.
Entretanto, a teologia nos faz entrever algum raio desta luz. É um balbuciar, em palavras humanas, das harmonias arcanas que existem na intimidade com Deus. Os teólogos dizem que o Pai, na imutabilidade de seu presente eterno, contempla sua essência divina e exprime a si mesmo numa Palavra eterna, gerando o Verbo. És meu Filho, hoje te gerei”(Sl 2,7). “Hoje”. É o instante presente da eternidade. É a geração eterna, imutável e sempre nova do Filho.

L.
         O Verbo é imagem perfeita do Pai. esplendor da  luz  eterna.  Irradiação  de  sua glória e efígie de sua substância. O Verbo é Pessoa divina,  distinta da Pessoa do Pai. “Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro”, dizemos no Credo Niceno-Constantinoplolitano. Contem
plando o Filho em seu esplendor, o Pai O ama com amor infinito. E o Verbo gerado pelo Pai, responde ao seu amor com amor igualmente infinito. E este Amor do Pai e do Filho também é Pessoa divina, distinta do Pai e do Filho, e procede do Pai e do Filho.

T.
         É o “Espírito” amor consubstâncial isto é, da mesma substância do Pai e do Filho. Une o Pai e o Filho na unidade do Amor divino.

D.
         No presente da eternidade, a vida trinitária se desenvolve neste círculo divino, que une o Pai, o Verbo e o Espírito Santo. No abismo arrebatador do Amor infinito que é a vida trinitária. E é neste abismo  arrebata
dor do  Amor  Infinito,   que  a  Maternidadedivina inseriu Maria Imaculada, tornando-a íntima do Pai, do Verbo e do Espírito Santo.

L.
         A Filha predileta do Pai. No momento da Encarnação, o Pai que já a escolhera antes da fundação do mundo, derrama na Virgem o amor eterno que tem para com o Verbo. Tornando-se Mãe do Verbo, a Virgem é investida em sua substância de criatura terrena, pelo abismo de amor infinito que está no Coração do Pai.

T.
         Torna-se singularmente e de modo excelso a Filha Predileta de seu amor.

D.
         A Virgem é atraída para o Pai, pelo mesmo amor que o Verbo tem para com o Pai. Inserindo-se no amor do Pai, o Coração da Virgem se transforma em ponto de convergência de dois fogos. O fogo do amor infinito com o qual o Pai a ama, inserida na intimidade do Filho. E o fogo de  amor  com
que Maria ama o Pai:  amor que emana da substância do Verbo que se encarna em seu seio de Imaculada.

T.
         É verdadeiramente um mistério sem limites que somente será compreendido quando estivermos no céu.

L.
         A Consangüínea do Verbo. Com a Encarnação no seio da Imaculada, o Verbo Eterno do Pai se une a Ela no vínculo mais íntimo que possa existir entre Deus e uma criatura. É o vínculo da Maternidade. Maria é a Mãe do Verbo do Pai. O Filho de Deus é carne de sua carne e sangue de seu sangue. É verdadeiramente maravilhosa e cheia de mistério a relação de intimidade e amor que existe entre a Virgem e o Verbo.

T.
         A geração eterna do Verbo, pelo Pai, une o Pai e o Verbo na unidade de um amor que é o Amor infinito.




A Encarnação une Maria e o Verbo na unidade de um amor que transpõe as fronteiras do Amor Infinito. É o amor materno de uma criatura para com seu Deus. É o amor filial de Deus para com sua criatura. É uma consangüinidade que cria na  Virgem uma relação com o Verbo, única e inconcebível para a mente humana: o amor de uma Mãe que se sente e é Filha de seu Filho.

L.
         A dulcíssima Esposa do Espírito Santo. “O Espírito Santo descerá sobre ti – dissera o anjo da Anunciação – e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra” (1, 35). Na Encarnação, desce o Espírito Santo sobre a Virgem. Profundamente a penetra na alma, no coração, no corpo. Une-se a ela em íntima fusão de amor, tornando-a  para sempre sua Dulcíssima Esposa.
T.
         Nela o Espírito Santo derrama todo seu ser que é Amor.
D.
         Com o Fiat do consentimento, a Virgem abre-lhe todo o ser: sua alma, seu corpo. Em total abandono se oferece ao êxtase de seu amor, que a torna fecunda. Acende-se um fogo de amor, entre o Espírito Santo e a Virgem cuja característica é a fecundidade.

QUANDO  A  HISTÓRIA.

Quando a história amadurece/
Nazaré fica surpresa:
Uma Virgem se oferece:
:/:Deus se senta à nossa mesa. :/:

REF: Glória a ti, Deus do universo/
         O teu sopro vive em mim!
         Tu reúnes o disperso!
         Tu sustentas o meu sim!

T.
         Com a Encarnação, nossa Mãe Imaculada se uniu indissoluvelmente a Deus, Uno e Trino, como Filha, como Mãe, como Esposa.
D.
                A Virgem não conserva para si esses tesouros de intimidade divina. Derrama-os sobre os filhos.  Proporcionalmente à intimidade de amor a que tivermos à nossa Mãe Imaculada, Ela nos comunicará a intimidade que Ela tem com o Pai, o Verbo e o Espírito Santo.

CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA.
(L. e M. José Acácio Santana)

1-      Coração Imaculado de Maria,
Nossa luz, nosso caminho e salvação.
Tua santa e permanente companhia/
Será sempre nosso auxílio e proteção.

Ref: Ave Maria Imaculada,
        Dá-nos a graça do teu materno amor /:/

2- És a nossa Mãe divina Imaculada/
    E o rosário nossa terna devoção.
    Tua bênção fortalece a caminhada/
    Dos que buscam a perfeita conversão.


         ORAÇÃO FINAL.

         Salve, ó Virgem Imaculada! Sois a Filha predileta do Pai, a Consangüínea do Verbo e a Dulcíssima Esposa do Espírito Santo! Nós, Vossas filhas, bendizemos e louvamos à Trindade Santíssima e Beatíssima, por os dons e privilégios com que Vos cumulou. E porque sois nossa Mãe amorosa,  não quereis guardar só para vós as incomensuráveis riquezas de Deus, e assim tudo fazeis  a fim de que os homens se tornem participantes. Obrigada, Mãe querida!
         No Batismo recebemos a vida da Trindade com a graça santificante. Somos Tabernáculo de Deus, Morada da Trindade. Fazei-nos tomar consciência desta realidade divina, e operai em nós  “transformações de união” com o Pai, com Filho, com o Espírito Santo. Dai-nos um coração simples, dócil e aberto as moções do Divino Espírito de Amor. Amém.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Monjas do Mosteiro

Profissão Solene de Ir. Maria de Fátima-OIC

Fundadora do Mosteiro

Amigos e benfeitores

Me. Beatriz Maria de Jesus Hóstia Seiffert- Fundadora do Most. da Imaculada Conceição e São José

Me. Beatriz Maria de Jesus Hóstia Seiffert-  Fundadora do Most. da Imaculada Conceição e São José
me Beatriz Maria

Algumas das Monjas da comunidade

Algumas das Monjas da comunidade

Monjas do Mosteiro